sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 20 - Dicas

Como em toda viagem, nessa a gente aprendeu um monte de coisas e daí vou fazer uma apanhado que pode ajudar quem resolver ir; afinal depois de rodar 12.566km a gente tinha que aprender alguma coisa...

Mapas e GPS
Levamos um mapa em papel que não usamos; dá pra comprar em qualquer posto lá, se você quiser. TODOS os postos tem wi-fi de graça, nem precisei comprar o chip de celular que eu havia planejado. Eu não levei GPS. Usei meu celular. Aqui em casa, baixei os mapas do Google Maps para poder consultar off-line e funcionou muito bem; porém todos os dias de manhã eu usava o wi-fi do hotel para programar o próximo destino e já aproveitava para pedir pro Maps mostrar todos os postos do caminho. Não mostrava todos, falaram alguns, mas daí era só perguntar pro frentista.

Combustível
A gente só usou a SUPER 95, a gasolina mais barata lá, como não tem álcool a moto ficou um pouco mais econômica, em lugar de fazer 17, fazia quase 20km por litro. Com um tanque normal da GS 1200, de 19 litros mais reserva, dá pra andar 350km sossegado, e mesmo acelerando muito dá pra chegar pelo menos nos 300km, o que torna possível fazer a viagem toda sem ter que carregar galão. O único cuidado é perguntar para o frentista qual é a distância dos próximos postos, teve lugar que  tivemos que parar para abastecer apenas após 130km pois o próximo posto ficava mais 250km à frente e daí a GS não chegaria. Na minha moto, a K1200GT, com 24 litros no tanque, eu poderia rodar mais de 400km facilmente. Resumo: programe direito as paradas para não precisar carregar galão de gasolina.

Lei
De acordo com a Lei, você deve fazer um seguro Carta Verde para os países do Mercosul (é só ir no Banco do Brasil ou pedir pro seu corretor) e precisa do Soapex para o Chile (entre nesse link e faça online). Mas fomos parados só umas duas vezes pela polícia na estrada e apresentamos os documentos em todas as fronteiras e a ÚNICA pessoa que pediu o Carta Verde foi o cara que confere os documentos na hora de embarcar a moto no Buquebus, a balsa que faz a ponte entre Argentina e Uruguay. O veículo deve estar no seu nome ou você tem que ter uma autorização registrada em cartório que permita você fazer viagens internacionais se o veículo não estiver no seu nome. No Uruguai dizem que tem que usar o colete reflexivo (eles chamam de jaleco) mas na Argentina SOMENTE O GARUPA deve usar o jaleco, o piloto não precisa, estando sozinho ou acompanhado; é a lei lá. E na volta, nem no Uruguai nós usamos. A única polícia chata lá é a da província de Entre-Rios, eles procuram pêlo em ovo pra te extorquir dinheiro, mas tem uma dica no relato da viagem, veja lá o terceiro ou quarto dia.

Hotéis e distâncias

-->
DiaDataDeParaDistânciaPousadaPreçoNota
Dia 122/12/2018Santo AndréOsório1069Hotel BIG$$4
Dia 223/12/2018OsórioPaysandu, UY946Hotel Paris$$$1
Dia 324/12/2018Paysandu, UYAzul, AR637Hotel Roma$$3
Dia 425/12/2018Azul, ARLas Grutas753Hotel Los Colonos$$10
Dia 526/12/2018Las GrutasCaleta Olivia779Grand Hotel Snack$$4
Dia 627/12/2018Caleta OliviaRio galegos701Hotel Aire Patagonia$$9
Dia 728/12/2018Rio GallegosUshuaia590Hotel Monaco$$7
Dia 829/12/2018UshuaiaHotel Monaco$$7
Dia 930/12/2018UshuaiaHotel Monaco$$7
Dia 1031/12/2018Ushuaia58Hotel Monaco$$7
Dia 1101/01/2019UshuaiaEl Calafate904Amado Hotel$$6
Dia 1202/01/2019El Calafate170Amado Hotel$$6
Dia 1303/01/2019El CalafatePerito Moreno704Hotel Americano$3
Dia 1404/01/2019Perito MorenoBariloche834Hostel La Pastorella$$6
Dia 1505/01/2019BarilochePuelches704Del Oeste$5
Dia 1606/01/2019PuelchesBuenos Aires769Exe Colón$$5
Dia 1707/01/2019Buenos AiresSantana do Livramento674Julio Apart Hotel $$0
Dia 1808/01/2019Santana do LivramentoFraiburgo811Hotel Fraiburgo$$7
Dia 1909/01/2019FraiburgoSanto Andre755
HOME SWEET HOME

Estas foram as paradas. O Hotel Colonos é o único que ficamos que tinha piscina e foi muito bom pois estava muito quente e foi possível dar uma relaxada. O melhor bife de chorizo na viagem foi no El Chiminguito de Bariloche, e foi barato! A pior comida, sem dúvida, foi no Andino no Ushuaia; o bife ficou no prato, era tipo 007: duro, frio e nervos de aço! Dos hotéis que ficamos eu só recomendo o Aire Patagônia, o Los Colonos e o Fraiburgo; os outros com notas médias, dá pra ficar sem problemas, só não surpreendem, já os com nota abaixo de 5, não fiquem, não vale à pena; e quanto ao Paris e ao Julio Apart, fujam... melhor dormir no banco da praça.


Passeios em Ushuaia

Contratamos a um "megatour" de van no Brasileiros no Ushuaia, fica na rua... adivinha... San Martin! O passeio da agência é bem legal e abrange todos os pontos de interesse, altamente recomendado. E os guias são muito divertidos. Não compramos o passeio no trem patagônico, todos disseram que não valia à pena e acho que estavam certos!

Por falar em calle San Martín, depois dessa viagem descobrimos que se uma cidade argentina tiver apenas 6 ruas elas, sem dúvida, se chamarão: San Martin, Perito Moreno (ninguém nem lembra que o nome do perito é Francisco), Colón, (Bartolomeu) Mitre, Gen. Belgrano e Nove de Julio; os próximos nomes, caso tenha 8 ruas, são Maipú e Libertador.

Pra comer a famosa centoulla, vá no Tia Elvira ou na Cantina do Freddy, você escolhe no aquário e come fresquinha. E o armazém Ramos Generales também é parada obrigatória, tem a tal sopa de abóbora muito boa, e vários outros quitutes; pode só tomar um café e comer uma médialuna, você vai gostar!

El Calafate

Voltaria para o sul da Patagônia só pra visitar El Calafate de novo, que lugar legal, e os glaciares são um espetáculo. Seguem as dicas do Dani, concierge do hotel Amado, que seguimos e foi muito legal:
- como estávamos de moto, ele falou pra não comprar o transfer de van para os glaciares, falou pra irmos de moto mesmo, tem que chegar lá às 8h~8h30; a 40km fica a entrada para Punta Bandeira (mais 8km), onde compramos o ticket de um dia para visitar os parques e o ticket da Solo Patagônia para o catamarã que faz o passeio; depois pegamos as motos e fomos no outro parque (usando o mesmo ticket) para visitar o Perito Moreno (mais 32km). Deu super certo. O Dani também indicou o El Ovejero pra comer o cordeiro patagonico, ótima dica e ainda fomos convidados a assistir a tosa de uma ovelha... espetacular!

Rípio

Eu fui com uma moto modelo touring, não é indica para andar no rípio (estrada de terra com pedras), mas fazem essas viagens com qualquer moto (até Harley) e até scooters. É só ir com cuidado que dá pra passar. O único trecho ruim foi de Três Lagos a Gobernador Gregores, 72km de rípio muito ruim, mas foi só ir devagar (gastamos 3 horas). Dicas: vejam a previsão do tempo, não passem com chuva ou vento muito forte; e se estiverem com garupa, pare algum carro e peça carona para a garupa e as malas; fica bem mais fácil passar sozinho e mais leve. Os 15km de rípio entre as fronteiras do Chile e da Argentina, já na Terra do Fogo, são fáceis de vencer, passei a 60km/h sem susto.

Pneu

Pneu na argentina custa muito caro, com o preço de um pneu traseiro aqui no Brasil você troca os dois, paga o serviço e ainda sobra muita grana! Pra se ter uma idéia, o meu pneu traseiro aqui custa uns R$800 reais e lá chegaram a me oferecer por R$2.700. Coloquei aqui o Michelin Pilot Road 2, que disseram que aguantaria, e aguentou mesmo; ainda dá pra rodar mais uns 200km (rsrs). O Ari usou o Mertzeler Tourance na GS e também aguentou, mas chegou no osso!

Ida

Volta










-->

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 19 - Santo André.SP

Chegada na SuperBanca

Portal da Graciosa

Foi difícil levantar da cama hoje sabendo que seria o último dia da viagem, dava vontade de esticar um pouco mais.

A torta de maçã premiada do hotel.

Curiosidades: no km 115 do trecho de Santa Catarina da BR-116 tem uma placa dizendo que lá é o ponto mais alto desta BR, tem 1268 metros de altura.

E o texto abaixo eu escrevi na parada em Curitiba:

Estava à pouco na BR-116 chegando em Curitiba, fazendo umas curvas de alta, placa de 60 e a gente a 140, moto deitadinha, e eu gritando "Uhú!" dentro do capacete. Que delicia! Ontem, chegando em Fraiburgo, depois de um dia de sol choveu uns minutos e aquela água evaporou e criou um tapete de vapor de um palmo.... raro de se ver e simplesmente lindo; vários quilômetros pilotando numa nuvem.

Foi aí que lembrei que está acabando.... Bateu uma tristeza.... Uma vontade de virar pra sul de novo! Mas a saudades também é grande... Vamos pra casa.

A recepção da turma foi calorosa.

Paulão, nosso consultor para assuntos da ruta!



terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 18 - Fraiburgo.SC

Adivinha qual foi o bichinho fofo que vimos na estrada brasileira logo cedo.... Um ratão do banhado. Se bem que não tinha rabo, então podia ser um porquinho da índia kkkkk. Esqueci de mencionar, antes de ontem o Ari quase atropelou um par de doninhas (ou furões, sei lá) e esses eram um casal mesmo porque o doninho ameaçou atravessar, tomou uma comida de toco da doninha e voltou pro lado dela.

A estrada no Brasil é bem diferente do Uruguai. E com uma paisagem mais bonita, apesar de que aqui tem muito caminhão e portanto o asfalto não é tão bom, lá no Uruguai quase não tem trânsito, acho que isso dá uma medida da economia; afinal o PIB do RS é quase u$100bi enquanto que o do Uruguai não chega a u$60bi.

Mas o que dá gosto de ver lá é como as propriedades são bem cuidadas, qualquer sítio é todo gramado com casas bonitas enquanto que no Brasil predomina o mato na beira da estrada. 

Conseguimos pegar um hotel pior que o Transilvânia de Paysandu.... Ficamos no Julio Apart Hotel em Santana do Livramento, que apesar do nome é una buesta, e pra terminar de danar tudo, quebrou a fechadura do quarto com a gente pra fora e nossas coisas dentro. Como já era tarde, não tinha chaveiro e tivemos que dormir em outro quarto.... Trash total.

Ainda bem que o hotel aqui em Fraiburgo, SC, Terra da Maçã, é show de bola, muito limpo e arrumado.

Hoje o GPS não mandou pegar nenhuma estrada de terra. Ontem a gente ia pra Treinta e Três, mas na rota, pra sair da Ruta 5 para a Ruta 8 ele indicava estradas de terra, daí desistimos e acabamos em Rivera mesmo.

A serra na BR470 na divisa de RS e SC, ao lado do Rio Uruguai, é muito bonita. Recomendo aos viajantes.

Estou ansioso para chegar em casa amanhã. Faltam só 750km (hoje foram 811km). Essa viagem está na "pegada do gato retardado", é como se todo dia a gente fosse de moto de Santo André pra Curitiba, tomasse um café e voltasse pra casa! Na ida foram 5.500km em 7 dias, média de 785 por dia, e a volta não tá muito diferente...



segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 17 - Santana do Livramento

Pegamos o Buquebus das 12h15 para Colônia Del Sacramento, e após uma rápida visita na vila histórica pegamos a estrada.

O Ari entrou no modo "na pegada do gato loko" e viemos parar na fronteira de Rivera com o Brasil. O resumo é que fizemos 674km começando a rodar às 14h30; chegamos aqui já de noite, mas é uma satisfação estar de volta ao Brasil.

O interior do Uruguai é lindo nesse época, tudo verdinho, e com o por-do-sol vimos cada paisagem deslumbrante. Em Florida passamos pela fábrica da Conaprole, que dizem que é o doce de leite mais gostoso do mundo, algo como o Faberge dos ovos, a Mona Lisa das pinturas.

Enfim..... Pátria amada!



domingo, 6 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 16 - Buenos Aires

De Puelches até a capital foram 880km, chegamos às 16h30 com tempo de dar uma volta no Puerto Madero antes de anoitecer.

No caminho paramos pra tentar ajudar duas motos, dois casais do Ecuador, pois uma das motos apagou. Era uma Honda 125 que eu não confiaria para descer até Cubatão, no entanto já havia rodado 5 países até ali, a mina da garupa era francesa. Acho que a Hondinha tinha dado o último suspiro, não pudemos fazer muita coisa.

Fiz uma reserva no booking e coincidentemente pegamos o mesmo hotel em que eu e o Chanka ficamos uns anos atrás, mas não tinha reconhecido pois mudou de nome, mas qdo cheguei reconheci.... Não mudou nada, a única coisa boa dele é o preço; tá, a localização também é boa, bem ao lado do obelisco da Nove de Julio.

Já compramos os tickets para o Buquebus amanhã ao meio-dia, vamos para Colônia Del Sacramento no Uruguay.


Ushuaia - dia 15 - Bariloche a Puelches

Descobri que se eu fico de pé nas pedaleiras e me estico pra frente eu consigo ver o meu farol acesso e a ponta do paralamas dianteiro... É. Começaram as estradas chatas de novo.

Deus falou comigo hoje. Não, não foi com uma voz retumbante, eu ainda não ouço vozes, ainda não estou doido. Ele falou comigo como ele fala com você (se você acredita), por meio de sinais. Mais pra frente eu conto....

O ponto alto do dia foi passear de moto por Bariloche. Fomos no Cerro Catedral e depois na charmosa vila e daí saímos umas 11h30  pra pegar a estrada. 

A descida da montanha pela 274 é maravilhosa. Viemos margeando um rio que nasce no Nahuel Huapi e cria uma paisagem deslumbrante.

Mas foi só chegar na planície pra começar a ficar quente e desértico de novo. Daí eu estava reclamando com meus botões: "Porque meu Deus, pra quê esse calor?" quando vejo na beira da estrada dois argentinos, um empurrando uma moto pequena com o pneu furado e o outro carregando uma mochila e os dois capacetes debaixo de um sol de 36.5°C. Foi o jeito sutil de Deus me responder: "Criatura ingrata, podia estar bem pior pro seu lado!" - nessas horas me dá um gratidão. Parei pra ajudar e acabei dando uma carona para um deles até o próximo posto, ainda bem que estava perto, uns 5km.

Ao anoitecer chegamos em Puelches e no posto onde abastecemos, Del Oeste, tinha uns quartos ao lado e decidimos ficar. Foi uma grata surpresa, o quarto era bom e muito barato. Acho que foi o melhor custo-benefício da viagem.

Dormimos cedo pois amanhã temos que chegar na capital federal, BsAs (Buenos Aires).


sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Ushuaia - dia 14 - Bariloche

Chegamos em Bariloche mas como estava tarde ainda não temos fotos pra postar, fica pra amanhã.

Saímos de Perito Moreno às 9h, mas num entroncamento onde deveríamos pegar a rota 40, não havia nenhuma sinalização e passamos reto. Qdo vi uma placa que indicava Caleta  Olivia (entre outros lugares) adotou um alarme, e um pouco depois qdo ficamos de frente pro sol, que deveria estar à nossa direita, paramos para verificar o mapa e descobrimos a cagada.... Já tínhamos rodado 1h, ou seja, desperdiçamos 242km, que somados aos 800km até Bariloche, então rodamos mais de 1000km (de novo!).

Mas adorei a viagem de hoje, a Rota 40 é muito cênica, tem curvas e a paisagem vai mudando. Passa por muitos vales com rios e montanhas majestosas, é de cair o queixo. E hoje conhecemos animais novos na estrada, além dos guanacos, coelhos e emas, hoje vimos um casal de raposas (eram duas, estou chutando que tinham um caso) e também um tatu.

Não sei se meu pneu vai aguentar a viagem toda....